Algarve recebe Festival Jota em 2015

Comentários fechados em Algarve recebe Festival Jota em 2015 40

A Diocese do Algarve recebe no próximo ano a 8ª edição do Festival Jota, o maior festival de música de inspiração cristã que se realiza em Portugal e um dos maiores na Península Ibérica.

O anúncio foi feito no final da eucaristia que encerrou o festival deste ano, que decorreu nos passados dias 25, 26 e 27 deste mês na paróquia de Carvalhais, São Pedro do Sul, na Diocese de Viseu.

“Vamos fazer a passagem da Diocese de Viseu para a diocese que acolhe a próxima edição do Festival Jota e que vai ocorrer nos dias 24, 25 e 26 de julho de 2015 em Faro, Diocese do Algarve”, anunciou o padre Jorge Castela, responsável pela direção artística do Festival Jota.

Alguns segundos depois a organização da edição deste ano do evento entregava a Patrícia Mendonça, em representação do Secretariado da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve, o “Jota” – uma escultura em madeira que marca a realização das edições do festival e que é passado como testemunho aos organizadores seguintes.

Em declarações à Agência Ecclesia, aquela representante considerou que o facto de haver “um grupo de jovens que vem ao Festival Jota desde a primeira edição” foi um dos motivos que motivou o Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil do Algarve (SDPJ) a aceitar o desafio de organizar e receber o festival em 2015.

“O Algarve tem uma paisagem diferente, temos as praias, temos o sol e depois temos uma juventude que já tem uma tradição de evangelização pela música e os grupos estão à espera dos outros jovens para fazer uma grande festa”, afirmou. “O Festival Jota é um marco na pastoral juvenil a nível nacional e quisemos fazer parte deste evento”, complementou.

O padre Jorge Castela, que explicou que “todos os anos” é aberto espaço para candidaturas das dioceses que queiram acolher o festival, sendo depois selecionada “aquela que parece mais indicada ou a que mostra mais interesse e mais vontade”, considerou que a Diocese do Algarve “vai ter a seu favor o mar, o sol” e disse esperar que a próxima edição tenha um “brilhozinho ainda mais internacional” ao nível dos participantes.

O Festival Jota nasceu em 2007 no seio do Secretariado da Pastoral Juvenil da Guarda, organizado em colaboração com a Banda Jota, mas logo se tornou itinerante, de âmbito nacional, aberto a todos os jovens do país como proposta unificadora da pastoral da juventude em Portugal.

A edição deste ano contou com mais de mil participantes de Portugal e de Espanha, entre os quais cerca de 100 oriundos do Algarve (Alvor, Faro, Moncarapacho, Patacão e Tavira) e teve como cabeça de cartaz a irmã Glenda, oriunda do Chile, que pertence à Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Consolação desde 1988 e faz da música o meio de evangelização e oração. A religiosa, que também dinamizou um workshop intitulado “Consagração com música”, protagonizou na primeira noite do festival um concerto intimista de oração na igreja, com exposição do Santíssimo Sacramento, que acabou por constituir uma catequese.

Do programa constaram ainda com os ‘Crossbeam’, de Inglaterra, de Espanha os ‘LVD – La Voz del Desierto’, mais conhecidos como “padres roqueiros”, e Ruben Villar de Lis, que também realizou um concerto intimista de oração na igreja no qual apresentou o testemunho da sua conversão e do México, os ‘Tériso’.

A nível nacional marcaram presença os anfitriões, a Banda Jota, a Banda Missio e os Godstones, que venceram, respetivamente, o espaço para novas revelações – ‘O teu palco’ – em 2010 e 2013, o padre Jason, dos Açores, e ainda o Dj Vidétta. Das cinco bandas-revelação, os ‘Yeshua’ foram os vencedores da edição deste ano de ‘O teu palco’. O Festival Jota é também uma iniciativa muito marcada pela dimensão ecuménica e pelo palco principal passaram dois grupos evangélicos portugueses: os ‘Unidos em Santidade’ e os algarvios ‘Xpression Cross’, vindos de Faro.

A edição deste ano voltou a contar com inúmeros workshops e ateliês como musicoterapia, inteligência emocional, artes plásticas, agricultura biológica ou produção de velas.

Na eucaristia de encerramento do festival que também contou com a presença do bispo da Diocese da Guarda, D. Manuel Felício, D. Ilídio Leandro, bispo da diocese anfitriã de Viseu, que presidiu à celebração, congratulou a organização e participantes pela iniciativa. “Parabéns pela escolha de vires ao Festival Jota. Parabéns por aquilo que fostes capaz de deixar para estar aqui, cantando com a juventude e com os outros, fazendo festa para Deus, para vós, para todos”, afirmou o prelado, considerando aquele um “festival muito positivo”. “Parabéns pelo muito e bom que conseguistes realizar. Levai convosco a alegria e a beleza da fé e do amor vividos na opção por Deus e pelas suas propostas”, pediu o bispo de Viseu, exortando os jovens a serem capazes de fazer escolhas. “Habituai-vos a escolher. Não aceiteis os que vos é imposto. Nunca vos deixeis manipular por interesses que vos imponham e que não sejam o vosso bem e a vossa felicidade”, pediu.